domingo, 5 de fevereiro de 2017

O BAILE VERMELHO & BRANCO ABRIU OFICIALMENTE AS COMEMORAÇÕES DO CARNAVAL DE ARCOVERDE


Clique na Foto para Ver a galeria de fotos

https://photos.google.com/album/AF1QipN_bQYbEwnEM-8sx0EOvqntMb-ug7HFlcWvIzSD
FOTOS DO BAILE

Depois de doze anos, o Baile Vermelho e Branco volta a acontecer em Arcoverde. O baile foi neste fim de semana no dia (04) de fevereiro no Clube Democrático. A intenção do evento foi unir o tradicional ao moderno, mesclando ritmos e atraiu todas as gerações.
Segundo o organizador do Baile Vermelho & Branco, Émerson Thiago a intenção do evento foi resgatar a tradição e a alegria do baile. "Estamos mesclando ritmos e também gerações. Nós vamos ter tanto aquele do passado e vamos também ter a juventude", ressaltou.
Émerson, destaca as características marcantes do baile, frequentado não só por sócios do Clube Democrático como também por pessoas que fizeram e fazem parte da história de nossa cidade. “Era um momento de esplendor, de charme, de mostrar as máscaras, o instante onde nós tínhamos o confete, a serpentina, as marchinhas e a predominância do frevo”.
Tradicionalmente, os foliões se vestem de vermelho e branco para comparecer ao baile. Com o resgate do baile esse ano foi uma belíssima festa com muita alegria e diversão para os jovens e as famílias de nossa cidade.
A Orquestra Nostalgia comandou a festa com muito frevo, as tradicionais marchinhas carnavalescas e músicas baianas e teve uma participação especial de Everton filho de Beto da Oara. A festa é um grito de resistência e o objetivo da realização do evento além de contemplar os foliões arcoverdenses também busca promover um resgate histórico e cultural do encontro carnavalesco.
Homenagiado desta festa:
Biografia - Marcos Antonio Amaral de Souza
Marcos Antônio Amaral de Souza, conhecido como Marcos Amaral, arcoverdense, nasceu em 10 de abril de 1945 e faleceu em 23 de julho de 2000, filho de Rafael Barbosa de Souza e Maria Inês Amaral de Souza, casado com Janete Moreno com quem teve duas filhas Jannine e Polyana. Na juventude trabalhou no Arcoverde Jornal, de propriedade do seu pai, onde despertou seu interesse, identificação e paixão pela leitura e escrita, também foi colaborador do Diário de Pernambuco.
Aos 21 anos foi aprovado no concurso do Banco do Brasil. Inicialmente, atuou na cidade de Cabrobó (1970 a 1974) e fez carreira como bancário residindo em várias cidades como Arcoverde (1974 a 1980), Custódia (1981 a 1984), Arcoverde (1985 a 1990), Caruaru (1991 a 1994) e por fim Recife (1995 a 1997)a onde se aposentou e escolheu para morar devido as filhas. Considerado profissional competente e dedicado, ele era realizado com a profissão que escolheu e “apaixonado” pela instituição na qual trabalhava (BB). Comprometido, vestia a camisa” em tudo que se propunha a fazer, entusiasmado entregava-se de corpo e alma.
Adorava livros, filmes, música. Um homem muito atencioso, correto, justo, caridoso, criativo, detalhista, perfeccionista, comunicativo, tinha um perfil festivo, sociável. Desde a juventude, gostava de participar de festas e eventos culturais, tendo sido membro do famoso bloco carnavalesco coça-coça de Arcoverde.
Possuía muitos amigos e participava ativamente dos eventos sociais atuando em clubes (Democrático, AABB) e associações (Rotary, Lions, Maçonaria) das cidades onde residia.


Em Arcoverde, destacou-se a sua atuação como presidente do Democrático Esporte Clube, por um período de 11 anos (1978 à 1989) como presidente e mais alguns anos como conselheiro e tesoureiro, dedicado e “apaixonado” pelo clube, realizou uma gestão com ampla e intensa participação e apoio dos amigos, familiares e sociedade arcoverdense. Durante sua gestão realizou várias edições do famoso e tradicional Baile Vermelho e Branco.
Nome: Marcos Antonio Amaral de Souza
Data de Nascimento: 10 de abril de 1945, em Arcoverde-PE
Data de Falecimento: 23 de julho de 2000, em Arcoverde-PE
Esposa: Janete Moreno dos Santos Souza (casou-se em 30 de maio de 1970)
Pais: Rafael Barbosa e Maria Inês Amaral de Souza
Irmãos: Vera Lúcia (1° filha), Tânia (2° filha), ele (3° filho e caçula do casal) e Nadja (irmã de um segundo casamento)
Principal profissão: Bancário do Banco do Brasil
Filhas: Jannine Moreno Amaral de Souza Padilha (1ª filha) e Polyana Moreno Amaral de Souza (2ª filha)
Genro: Felipe Sampaio Padilha, casado com Jannine.
Neto: Vinícius Moreno Amaral Padilha, filho de Jannine e Felipe. (Vinícius nasceu em 2001, infelizmente, papai não chegou a conhecer o neto)


Observações:
O Baile Vermelho e Branco teve sua 1° versão no ano de 1966, o presidente na época era José Tenório Braz, mas o idealizador foi Sr. Áureo Bradley.
Atuaram e ajudaram na sua gestão como presidente ao longo dos anos, Antônio Alberto, Arnoldo Alencar, Antonio Moreno (cunhado), José Áureo, José Aurélio Cursino, e claro Gilberto e Guilhermano.
.
Fotos: Orlando Limeira e Marluce Regina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...