sábado, 20 de maio de 2017

100 ANOS... O CINEMA RIO BRANCO ATINGE A SUA MAIORIDADE!!!!!! EM ARCOVERDE

VILA DE RIO BRANCO. PE. BR. NOITE - 20 DE MAIO DE 1917
CIDADE DE ARCOVERDE. PE. BR. DIA - 20 DE MAIO DE 2017
100 ANOS... O CINEMA RIO BRANCO ATINGE A SUA MAIORIDADE!!!!!!
ESTÁ FECHADO, PORÉM, NÃO ESTÁ MORTO!!!!!

Historicamente conhecido (até que se prove em contrário e com fatos) como cinema mais antigo do Brasil (claro, esse título vale quando o mesmo está em funcionamento), o CINEMA RIO BRANCO, segundo a maioria dos historiadores e pesquisadores, foi oficialmente inaugurado em 20 DE MAIO DE 1917, quando o que hoje conhecemos como ARCOVERDE era ainda uma pequena vila encravada na porta do sertão de Pernambuco - através do espirito empreendedor e visionário do Coronel Augusto Cavalcanti que, apenas três anos antes, também havia colocado luz elétrica na povoação. Desde então, passou por vários proprietários e acompanhou o progresso da cinematografia mundial passando a receber filmes falados já a partir de 1934 (que em Nova Iorque tinha sido inaugurado em 1927; no Rio de Janeiro e 1929 e em Recife em 1930) e sofreu algumas reformas, tendo as duas mais recentes sido realizadas entre 1998 e 1999 e entre 2011 e 2012, a primeira com incentivos fiscais da então estatal CELPE e a última com recursos do Ministério do Turismo.
Durante esta reforma geral, especificamente, ocorrida na gestão anterior, com recursos do Ministério do Turismo, na ordem de um milhão de reais, tocada pela Secretaria Municipal de Obras e Projetos especiais em parceria com a Secretaria de Finanças e Planejamento, ao invés de se adquirir um PROJETOR DIGITAL, optou-se por adquirir um PROJETOR ANALÓGICO de 35mm (adaptado para projeção de filmes em película), bem mais barato, quando já se sabia que esse tipo de equipamento ficaria obsoleto em, no máximo, cinco anos.
E foi o que efetivamente aconteceu. Como previsto, a partir de 2015 – já com o cinema sendo administrado pela Secretaria Municipal de Turismo e Eventos (a partir de janeiro de 2013) -, as produtoras cinematográficas diminuíram a produção de filmes de 35mm na proporção de 10 por 02 e, com a chegada de 2016, de forma definitiva, deixaram de fabricá-los. Com isso, o Cinema Rio Branco passou a ter dificuldade de obter cópias de 35mm para exibição e, com o passar do tempo, praticamente, teve que paralisar suas atividades. Ou seja, possui um produto novíssimo, porém, sem nenhuma utilidade.
Considerando que, embora inaugurado, a nova gestão, ao assumir, constatou que o cinema não estava operacional, teve que realizar várias intervenções, como a recolocação do gesso do teto e posteriormente das poltronas (tiveram que ser retiradas, elevadas e reinstaladas); instalação definitiva do sistema de sonorização e de refrigeração e parte elétrica que estava por fazer, além de instalação de corrimãos de escadas, proteção para o mezanino, catraca para controle de entrada, disciplinadores, extintores de incêndio e todo o sistema de sinalização, etc., etc., etc.

Em verdade, inaugurado em dezembro de 2012, o cinema só veio efetivamente funcionar a partir de 10 de setembro de 2013, quando praticamente todos os problemas foram solucionados pela nova gestão, com investimento de aproximadamente 90 mil reais à época.
Inclusive, ao ficar novamente "não operacional" a partir de 2016 quando o projetor novo ficou obsoleto, a atual gestão tem, desde que cessaram os filmes de 35mm e prevaleceram os filmes digitais, tentado viabilizar a aquisição de um projetor digital profissional, atualmente estimado em torno de 350 mil reais; tentando parcerias com o Governo Federal através do envio de projetos para os Ministérios do Turismo e da Cultura e, também, através de emendas parlamentares. Todo o esforço vem sendo feito para que o velho e tradicional Cinema Rio Branco que, quando em funcionamento, destaca-se como o mais antigo do Brasil, volte a funcionar normalmente com exibição de filmes o mais breve possível, inclusive, com uma solução alternativa que está sendo implantada pela atual gestão do cinema – através da Secretaria Municipal de Cultura e Comunicação – enquanto não se consegue solucionar em definitivo com a compra de um projetor digital profissional.
Portanto, ao completar 100 ANOS e para seguir seu curso histórico e continuar contribuindo com o desenvolvimento do dinâmico processo cultural de Arcoverde, o “velho” cinematógrafo precisa de parcerias para manter-se ativo como patrimônio HISTÓRICO, ARTÍSTICO e CULTURAL de Arcoverde, contribuindo, inclusive, com o desenvolvimento do turismo através da cultura.
Recebendo esse sonhado e imprescindível equipamento, o CINEMA RIO BRANCO, que não pertence a apenas um segmento, mas a todo o POVO DE ARCOVERDE, poderá seguir sua vocação histórica e cultural, preservando o sonho de Augusto Cavalcanti e de tantos outros arcoverdenses – nativos e forasteiros – que fizeram da terra do primeiro Cardeal do Brasil e da América Latina a cidade aberta, plural e progressista que hoje representa no cenário pernambucano, nordestino e nacional. Pois, como coloquei no início, O CINEMA RIO BRANCO PODE ESTAR FECHADO, PORÉM, NÃO ESTÁ MORTO!!!!!!
A Secretaria de Turismo e Eventos, que teve a honra de administrar o cinema entre janeiro de 2013 e março de 2017, agradece o apoio da Prefeita Madalena Britto, do Vice Wellington Araújo e da Presidente do Comitê Gestor de Eventos Andreia Britto, oportunidade em que parabeniza todos os colaboradores que contribuíram para que, enquanto funcionou o projetor, a população tivesse acesso a todos os gêneros de filmes: os de aventura, os dramas, as comédias, os infantis, os de arte, etc.
E, pra finalizar, eu cito uma frase emblemática repetida à exaustão pelo saudoso Zé Pastor (grande amigo de todos) sempre que adentrava o cinema (e ele, como apreciador da sétima arte, era bastante frequente): “O CINEMA AINDA É A MAIOR DIVERSÃO” !!!!
Fonte: SETUR ARCOVERDE
Fotos de arquivos.
CurtirMostrar mais reações
Comentar
Compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...