segunda-feira, 7 de novembro de 2016

ARCOVERDE: Colapso de barragem provoca alteração no calendário de abastecimento da cidade


Cidade será atendida por poços após colapso da Barragem Riacho do Pau

A seca extrema tem provocado o colapso de barragens usadas para o abastecimento humano em Pernambuco. A mais recente a sofrer os efeitos da estiagem prolongada foi a Barragem Riacho do Pau, localizada na cidade de Pedra, uma das fontes hídricas do município de Arcoverde, no Sertão  do Moxotó. O manancial está com 0,9% da sua capacidade e não oferece mais condições de captação de água. Diante dessa realidade, a Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa precisou ampliar o calendário de distribuição do município. 

Agora, o abastecimento de Arcoverde é feito somente pelos cinco poços da Bacia do Frutuoso, situado em Ibimirim. A água captada nos poços é transportada pela Adutora do Jatobá, ao longo de 69 quilômetros, até chegar na Estação de Tratamento (ETA) Arcoverde, com a vazão média de 82 litros por segundo. Com essa vazão disponível, a Compesa irá atender a cidade em um regime de cinco dias com água contra 23 dias sem. O novo calendário já está disponível no site da Compesa (www.compesa.com.br).

De acordo com o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Augusto César de Andrade, a Companhia elaborou um criterioso planejamento e monitoramento da água armazenada na Barragem do Riacho do Pau para que fosse prolongado ao máximo a exploração do manancial, que tem a capacidade para acumular 16,8 milhões de metros cúbicos de água.

"Em maio deste ano choveu um pouco, e a barragem chegou a registrar 5% de sua capacidade. De lá para cá, a Compesa utilizou a água do manancial para complementar o abastecimento de Arcoverde junto com os poços", explica. No mês de junho, o regime de abastecimento praticado na cidade era menor, de cinco dias com água para dez dias sem. Em outubro, já tinha sido ampliado para cinco dias com água e 15 dias sem.

Arcoverde é uma das sete cidades que serão beneficiadas com a Adutora do Moxotó, obra que já está com a primeira etapa em execução pela Compesa. O empreendimento vai captar água no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco e será integrado à Adutora do Agreste. Trata-se de uma obra estruturadora que será realizada em duas etapas e prevê a implantação de 67 quilômetros de adutora em tubos de ferro fundido (600 mm de diâmetro), três estações elevatórias e a captação na Barragem do Moxotó.

A previsão é concluir as intervenções em 15 meses, a partir da data da assinatura da Ordem de Serviço. Quando as duas etapas estiverem concluídas - a segunda está em fase de licitação - a adutora fará a condução de água da Estação Elevatória -1, na Barragem do Moxotó, até a Estação de Tratamento de Água (ETA) em Arcoverde, onde o sistema será interligado à Adutora do Agreste - no trecho que a Companhia já concluiu para abastecer Arcoverde e as cidades de Pesqueira, Alagoinha e Belo Jardim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...