sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Moradores filmam granizo em Arcoverde e Pedra

Moradores filmam granizo em pelo menos 5 cidades do Agreste e Sertão de Pernambuco

Reprodução/YouTube
As fortes chuvas que atingiram o estado na sexta-feira, 29 de janeiro de 2016, também elevaram os registros de queda de granizo no interior de Pernambuco em apenas dois meses. A população registrou, em vídeo, o momento em que pequenas pedras de gelo caíram das nuvens nos municípios de Pedra, Pesqueira, Garanhuns e João Alfredo, no Agreste, e em Arcoverde, no Sertão. Com estes registros, sobe para sete o número de municípios atingidos pelo fenômeno e, segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) não há possibilidade de prever a ocorrência desse tipo de precipitação, mas chuvas bem fortes devem atingir o Sertão nas próximas 24 horas.

A usuária Rosimere Araújo compartilhou um vídeo mostrando a surpresa de alguns moradores com a ocorrência, na cidade de Pedra – uma chuva que durou cerca de 15 minutos. Esta é a primeira cidade do Agreste atingida em 2016. A chuva foi acompanhada de muito vento, que chegou a derrubar o letreiro da cidade.

Ocorrências de granizo registradas pela população:

Dados cartográficos ©2016 Google
Mapa
Satélite
Em Arcoverde, a intensidade da queda das pedras de gelo chamou a atenção da população. No YouTube, o usuário John John fez o registro abaixo no terraço de casa e, nele, é possível ouvir os pedaços de gelo caindo com força numa área urbana da cidade.
Já em João Alfredo, os moradores que fizeram o registro em vídeo se mostraram admirados com a queda do gelo e comemoravam, em festa. No vídeo, é possível perceber a admiração dos presentes e com a preocupação em que o fenômeno fosse devidamente filmado.
Reprodução/YouTube
Já em Garanhuns, no Agreste, a moradora Andressa Alves, que seguia pela BR-232 antes da entrada da cidade, registrou em vídeo o momento em que as pedras de gelo começaram a atingir o painel do veículo. No áudio, é possível ouvir pequenas pancadas na lataria do carro e observar as fortes chuvas que atingiram a cidade.
De acordo com o meteorologista Roberto Pereira, da Apac, no mundo inteiro, é difícil prever a ocorrência de granizo. Isso porque os equipamentos são de difícil acesso e a ocorrência só ocorre quando há o desenvolvimento vertical das nuvens – que podem chegar a até 12 km de altura.

Segundo o meteorologista, o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, o mesmo que gerou granizo em Flores e em Sertânia, em dezembro de 2015, havia se deslocado para o Oceano Atlântico no sentido oeste-leste e, agora, retorna ao continente. “Ele é quem tem gerado chuvas na RMR, Zona da Mata e Agreste. Até o sábado, deve levar fortes chuvas também ao Sertão. A ocorrência de granizo, no entanto, é pouco provável, pois o desenvolvimento vertical já começou a se dissipar”, explica Pereira.
A Apac esclarece que a precipitação de granizo é relativamente rara, mas que ocorre entre três ou quatro vezes por ano. A formação do gelo se dá quando as nuvens sobem bastante na atmosfera – e quanto maior a altitude, menor a temperatura -, o que provoca o congelamento dos vapores de água em grandes blocos. Estas pedras, ao cair, vão ganhando velocidade e perdendo massa, normalmente chegando ao solo em tamanho bem reduzido, mas capaz de provocar danos à saúde e às plantações.
Fonte: Diário de Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...