quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Vamos Salvar o Riacho do Mel em Arcoverde

Como diz a música do cantor Paulinho Leite e Tonino Arcoverde: Meu velho riacho do mel, Ainda guardo na lembrança, Foi no tempo de criança, Parceiros de brincadeiras, Foi tanto bem que eu te quis, Agora te vejo infeliz, Levando a lama da cidade, Quem te fez essa maldade, Destruir tuas barreiras. Teu leito manchado de fel, Vencido pelo desafio, Se arrasta pelo tamboril, Vai chorando suas mágoas, Queria poder te ajudar, É triste esse teu penar, Vou cantando o teu passado, Hoje tive um sonho alado, Mergulhei em suas águas. Leva o meu sonho de menino, Vai cumprindo o teu destino, Perdoa quem te envenenou, Quem te feriu tenha certeza, Que um dia a natureza, Também vai lhe cobrir de dor.
Vamos Salvar o "Riacho do Mel". Não sei se devemos lembrar com alegria ou com tristeza dos tempos de glória do nosso bom e velho “Riacho do Mel”, este riacho que nasce em terras da Serra das Varas e deságua no Açude Poço da Cruz, banhando uma boa faixa ao longo de seu leito, garantindo a sobrevivência de espécies de peixes, aves, animais e plantas, e porque não dizer, garantindo a nossa própria sobrevivência. Recordando bem, lá pelos idos de 1970, quem não se lembra do saudoso Carnaval no Chililí, que recebia nos finais de semana as famílias para momentos de confraternização, alegria e descontração, refrescando com aquela água maravilhosa, degustando um saboroso almoço regado pela companhia simpática de familiares. Me recordo de quantas vezes brinquei a matinê carnaval do Riacho do Mel. Quantas vezes fugi de casa junto com os amigos, em busca de um banho refrescante no tamboril e de uma areia para brincar uma bola. Enfim, aquele era o nosso Riacho do Mel. Hoje o Riacho do Mel está morrendo, e quem sabe disso, pouca gente, ou pelo menos fazem de conta que não sabem. Precisamos nos atentar para o fato de que se não fizermos algo realmente eficaz e rápido, o Córrego Riacho do Mel vai morrer pra sempre, e para isso é preciso a mobilização de toda a sociedade, crianças, jovens e adultos, indistintamente. Quero me aliar àqueles que já acordaram para essa realidade, e conclamar a sociedade de Arcoverde para que juntos possamos encontrar soluções para não deixarmos o Riacho do Mel morrer. Morrendo o Riacho do Mel, morre parte da história de Arcoverde. Salvar o Riacho do Mel é uma questão de sobrevivência! É uma questão de necessidade. Portanto, fica aqui o apelo: “Vamos salvar o Riacho do Mel!” Reportagem: Arcoverde e Cia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...