quinta-feira, 25 de março de 2010

Sebastião Freitas Lima (Sebastião Caranguejo)









Palavras pra você, Sebastião Freitas Lima, que na data de 17 de junho de 1980, deixou o convívio com os mortais, entrando em contato com a eternidade. Palavras pra você que, ao partir, fez com que, quase toda uma cidade se levanta-se e saísse em cortejo fúnebre, como que querendo trazer você de volta, sem se conformar com sua partida rápida, como que querendo pelo menos como último desejo se, assim fosse possível, ver das suas mãos o último acena ou ouvir dos seus lábios o último adeus. Seria muito para nós que ficamos ver das sua mãos o último adeus? Dessas mãos que ao segurar um microfone fazia qualquer pessoa vibrar através do ritmo, por pior que fosse o seu humor. Seria muito ouvir pela a última vez o último adeus, gritado pelos seus lábios, desses lábios que tantas e tantas vezes nos salões e mesmo fora dele, transformaram pessoas e no afam do ritmo que só você sabia segurar, esquecia os problemas do dia a dia. Palavras pra você Sebastião, que as pessoas preferiam chamar de Caranguejo, porque só assim se sentiam mais perto de você, ficavam mais íntimo e podiam aprender alguma coisa com você. Palavras pra você, que era pequenino no tamanho, mais parecendo uma criança e talvez fosse por isso que você transmitia tanta felicidade as pessoas, porque só os adultos que permanecem com o resquício da infância, é que sabe transmitir a felicidade, como você sabia. Você que mesmo sem saber era um líder nato, porque os líderes aparecem geralmente quando morrem. È Caranguejo, os líderes são aquelas pessoas sem o a força conseguem angariar a simpatia dos seres humanos e as pessoas de inspiram nelas porque depositam confiança, Assim como os profetas fazem com seus seguidores. Você sabia que existem tanta pessoas que lhe admiravam? Você sabia que quase toda a cidade de Arcoverde iria chorar a sua morte, não sabia em Caranguejo? E mesmo que soube-se não iria mudar você em nada, claro que não, porque a sua simplicidade encobria qualquer sinal de mediocridade. Palavra pra você que, era a alegria do sertão, que sua luta desesperada do dia a dia, tentando fazer tudo correto, correto de mais, talvez tenha esquecido de viver. E quem sabe você tenha seguido a letra daquele verso que diz: “De tanto cantar as minhas canções ao vento, esqueci de viver”. Você que não conhecia o fracasso, mais que se preocupava para fazer tudo correto. Palavras pra você que, soube como ninguém fazer amigos e diz um provérbio que, quando as pessoas já cumpriram a sua missão na terra Deus o chama e será que você já havia cumprido mesmo a sua aqui conosco? Não, não posso responder a pergunta, mais que eu gostaria de ouvir você cantar novamente, há , isso eu gostaria, as pessoas sabem Caranguejo que, a transformação da matéria é necessárias, porém a algumas ainda teima em fazer inimigos. Pela brilhante lição que você trouxe para nós, pela a felicidade que você transmitia as pessoas evocando suas canções, pela maneira simples de viver através da música, pelo o amor que você deixou entre nós, porque você é filho do universo, irmão das estrelas e Arvores, e que lhe dedico as minha palavras pra você.


Um comentário:

  1. eitha titio sebastião queria ter chegado a conhece-lo meu voinho severino so faz chorar quando fala dele ai mal consigo saber de nada :/
    gostei muito do que escreveu dele eu tenho um quadro dele bem jovem mesmo xD

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...